quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Obviamente: Mulher


Pequena guerreira, imensa mulher: pura coragem.
Não foges, não arredas: cada pedra chuta pra longe.
Com seu doce olhar, tudo a sua volta transforma.
Mistura de mel com limão: separados enjoam.
Lutas pelo ideal, pela idéia, pelo belo, pelo justo.
Cabeça erguida, punho serrado: sai da frente!
Lá vens, em cima do salto, pisando firme: dá gosto de ver.
Admirada, invejada, odiada: mas nunca despercebida.
Vai, grita pra quem não te conhece:
-Não mexam com os meus.
-Não menosprezem nossa força.
-Não duvidem do que somos capazes.
Sem você na frente, a batalha perderia a graça.
Força guerreira! Nenhum pingo, de suas lágrimas, será em vão.
Nenhum centímetro, dos quilômetros que percorrestes, será perdido.
Na dura caminhada, seu rastro é pura inspiração.
Ensinas que, melhor que a vitória é a boa briga.
Melhor que chegar é o percorrer dignamente.

Para 4 mulheres que conheço e me inspiram: Nanci, Gilda, Nadja e Marly.
Respectivamente: Amiga fiel, Companheira de ideal, Esposa amada e Mãe de verdade.

5 comentários:

Poeta da Colina disse...

Nunca conheci senhores da situação.

Maria-sem-vergonha disse...

lindo...

Adelson Silvestre JR disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Adelson Silvestre JR disse...

Belíssimo. Quem tem uma mulher assim em sua vida, certamente achou o texto emocionante. Muito formidável, Bandetta.

Arlene disse...

Simplesmente magnífico!