sexta-feira, 9 de julho de 2010

Festa d'água (ao mestre com carinho)


Pingo d'água caindo do céu
na terra seca quase não se vê
faz a festa do pé de milho
alegria da semente a nascer

Cheiro de terra molhando
barulho de gota caindo
no telhado segue escorrendo
no chão passeia seguindo

Posso ouvir o verde gritando
a folha a cantar, o fruto a sorrir
sentindo o frescor que brota
no dançar da água a cair

A poeira assenta vira barro
vai pro bico do passarinho
lá vai ele com seu cimento
construindo o seu ninho

Riacho a ser promovido
se gaba do seu tamanho
dá risada, fica cheio de si
orgulhoso, já serve pra banho

Passarinhada de pena molhada
vôo não arrisca, não é besta
espera a chuva amainar
pra entrar logo nesta festa

Natureza fazendo algazarra
coisa linda de se ver
arrepia, toca fundo na alma
inspira poeta a escrever

Impossível falar do assunto
sem o mestre, com reverência, citar
me permita, Manoel de Barros,
com as palavras as vezes brincar

Um comentário:

Kleber disse...

Tô precisando de uma...festa d'água...pra conter um pouco o pó...heheheh