sexta-feira, 30 de julho de 2010

A praça


Sinto vida pulsando, forte e ritmada, feito coração.
Vejo gente sorrindo, feito criança fazendo travessura.
Ouço o som da alegria que contagia e arrepia.

Olhos levados que seguem a moça que rebola.
Som de pipoca estourando e cheiro de vida no ar.
Chafariz respingando felicidade por toda a parte.

Bancos forrados de aplausos para o bebê que anda.
Flor que embeleza o cabelo da namorada faceira.
Cachorrinho metido que exibe seu novo penteado.

O sorvete que pinta a boca do menino guloso.
Um dia na praça é um dia bem vivido.
Intenso, saboroso, viçoso... Delicioso.

A praça é assim: é do povo como diria Castro Alves.
“Como o céu é do Condor”: completaria sabiamente.
Hoje eu tive um grande dia, tive um dia na praça.

Nenhum comentário: